A reunião de conselho com os investidores tem em geral uma má fama entre os empreendedores. Gostaria de ajudar a mostrar que não são necessariamentes reuniões onde o empreendedor leva porrada dos investidores que só querem cobrar resultados. Para isso gostaria de dividir aqui algumas experiências.

Implantamos na nossa empresa um novo modelo de reuniões de conselho que está funcionando muito bem e por isso decidi dividir aqui. Primeiro deixo aqui o crédito da idéia para o Mario Fleck que preside nosso conselho e foi quem sugeriu esse modelo.

Ao invés de juntarmos os 7 conselheiros em uma única reunião mensal para discutir tudo sobre a empresa, dividimos o conselho em três grupos: organizacional, finanças e M&A (mergers & acquistions em inglês ou fusões & aquisições). Os conselheiros foram divididos nesses três grupos que passaram a contar com a presença de outros membros da equipe da empresa. O organizacional discute sobre as questões que envolvem a estrutura da empresa, pessoas, remuneração, etc.. O de finanças discute obviamente as questões financeiras como margem dos diferentes negócios, precificação, relatórios gerenciais, etc.. Por último, o comitê de M&A discute as possibilidades de fusões e aquisições, quais novos negócios podemos montar, etc..

O bacana desse modelo é que os investidores do conselho passam a botar mais a mão na massa e contribuir de forma muito mais efetiva com a empresa. Passam a discutir problemas efetivos e procurar soluções junto com os gestores e não simplesmente ficar olhando os resultados (olhando pelo retrovisor). Além disso, mais pessoas dentro da empresa passam a interagir com os conselheiros e isso gera um maior aprendizado e troca de conhecimentos. A reunião de conselho mais formal deixou de ser mensal e passou a ocorrer a cada trimestre e nessa os grupos apresentam seus resultados. Com isso a reunião fica muito mais rápida e produtiva. Quem quiser saber mais sobre essa experiência é só comentar.
admin

By admin

Related Post