A idéia pode ser radical demais, a resistência seria absurdamente grande, mas o resultado final poderia ser a melhor solução para um sistema que quebrou.

Quando o mundo financeiro parecia que ia acabar, o tesouro americano criou um plano de emergência (TARP) para evitar o pior. Todos sabiam que o plano não era o ideal, mas a atitude era extremamente necessária. Passado o pânico, idéias melhores começaram a surgir. O modelo europeu de comprar ações dos bancos em dificuldades pareceu melhor e mais justo.

Agora, no melhor estilo empreendedor, e que deixaria Schumpeter orgulhoso, surge uma proposta inovadora.

Construir um sistema bancário inteiramente novo! Essa é a idéia do Salman Khan e do David Leinweber. O artigo “New American Bank Initiative” pode ser lido na íntegra aqui.

A idéia é relativamente simples, ao invés de usar os $700bi do TARP para comprar ativos “podres” ou comprar ações dos bancos que causaram todo o problema, o dinheiro deve ser usado para criar 20 novos bancos. Cada banco com $35bi de capital novo.

Por que fazer isso? Porque os bancos atuais estão dando sinais claros de que não repassarão esse dinheiro para a economia real na forma de crédito. Os balanços estão muito fracos e a coragem de dar novos créditos é nula. O receio é que o dinheiro do povo americano será represado e depois usado para distribuir dividendos e pagar bônus para os executivos, o que seria inaceitável.

Na visão dos dois, o plano na sua forma atual só retardará a morte certa desses bancos dinossauros, a extinção é certa. Então é melhor aproveitar o momento e criar um sistema novo.

Os novos bancos seriam dos cidadãos americanos, cada banco teria 300milhões de ações (uma para cada cidadão) que poderiam ser negociadas na bolsa. Quem quiser vende sua ação. Assim não seria necessário estatizar o sistema.

Para operar rapidamente, os novos bancos comprariam os ativos operacionais (agências, sistemas, computadores) dos bancos quebrados. Os empregos seriam preservados, as equipes operacionais seriam absorvidas pelos novos, só mudam os gestores.

Os depósitos nos bancos atuais já são garantidos pelo FDIC, então mesmo com a quebra dos bancos atuais, os americanos não perderiam seu dinheiro. Quem perderia seriam os banqueiros que criaram o monstro.

Com o capital e gestão renovados, a nova geração de bancos geraria $7,0trilhões em empréstimos para a economia real, acabando com a contração atual e fazendo com que a roda que travou, gire novamente.

Estaria assim aberta a oportunidade para surgir um Google do mercado financeiro. Quem sabe um “GBank” não seria o novo propulsor de uma nova onda de desenvolvimento sustentável. Utopia? Ingenuidade? O que você acha?

Wall street Photoillustration by: Ji Lee

Reblog this post [with Zemanta]
admin

By admin

Related Post