Fechando a série do “V.C. é para você?” chegamos à décima e última pergunta que trata do que fazer após a venda do negócio. Vamos lembrar que estamos focando em negócios com aporte de Venture Capital que inevitavelmente venderá a sua participação. No post anterior coloquei os diferentes cenários que podem acontecer no momento da saída do investidor de venture capital.
Aqui vou me focar no cenário em que o empreendedor também acabou vendendo sua participação e felizmente está agora com uma boa poupança. Eu não tenho a menor intenção de dizer o que é certo ou errado para o empreendedor fazer após a venda de seu negócio. Essas opções também importam pouco para o investidor, mas quero provocar o empreendedor para seguir um caminho alternativo que acho muito interessante.
Esse caminho transforma o empreendedor que realizou e viveu a experiência de criar, gerir e vender um negócio em um novo investidor (ou anjo ou de venture capital). Sim, você mesmo um V.C.!
Os fundos de venture capital brasileiros são geridos por grandes profissionais, mas que na sua grande maioria são financistas. Não tem nenhum problema em ser um profissional de finanças, isso é mais do que natural. Mas o que você como empreendedor prefere ter como seu investidor, um ótimo financista ou alguém que já tenha passado por todas as experiências que você está prestes a começar a ter?
Se você, como eu, respondeu “os dois!” então é esse o ponto que quero fazer.
Os ótimos financistas junto com ex-fundadores podem fazer uma enorme diferença para uma empresa que está começando. Só o financista é pouco.
O problema é que não existem muitos ex-fundadores dispostos a se aliar com os fundos de investimento para criar uma nova geração de empresas emergentes aqui no Brasil. Essa é a oportunidade, ou caminho alternativo que eu gostaria de promover.
Assim fica aqui a minha proposta, se você é um empreendedor que acabou de vender seu negócio ou se está prestes a fazê-lo, vire um investidor anjo para começar. Depois, se a sua poupança estiver na casa dos sete digitos, procure uma empresa séria de venture capital (existem várias mas Rio Bravo, CRP e DGF são as que eu recomendo) e se associe a eles para ajudar a próxima geração de empreendedores a prosperar. Se você acreditar que tem o punch para montar seu próprio fundo, procure a Finep, eles estão a procura de bons gestores.

admin

By admin

Related Post