O painel “Finance & Statistics” da TechCrunch50 foi bem mais interessante e os mesmos especialistas do painel anterior puderam interagir com empreendedores bem qualificados.

Personal RIA: um serviço web para ajudar o usuário a administrar seus investimentos. Os advisors profissionais tem que ser aprovados pelo site e o usuários escolhem o profissional que querem seguir. Uma série de funcionalidades bem interessantes estão a disposição do usuário que pagar 0,5% ao ano sobre o valor da sua carteira. Esse mercado é gigante, mas muito competitivo. A estratégia é conseguir conquistar um número decente de usuários para depois barganhar com os homebrokers para que eles oferecem o site como um serviço agregado. Se conseguirem capital para gastar com aquisição de usuários tem tudo para decolar.
Modelo de negócio? Taxa anual sobre o volume de dinheiro gerenciado (0,5%)
Acho que uma versão brasileira daria certo também, especialemente nesse momento com mais de 500mil investidores pessoas físicas perdidas com a derretida da Bovespa.

Emerginvest: “yahoo finance para o resto do mundo”. Um site para ajudar os investidores americanos a investirem em países emergentes. O empreendedor acha que as ferramentas disponíveis hoje não tem a profundidade de informação sobre os mercados emergentes. Alguém precisa mostrar para ele o Bloomberg ou o Reuters. Eles não tem nenhuma informação exclusiva, apenas fazem um “crawling” de informações já existentes.
Os investidores que pagariam por isso já tem acesso a esse tipo de informação por outros meios já disponíveis. Não boto muita fé, acho que o empreendedor deveria conhecer melhor esse mercado ultra-competitivo. O Don Dodge sugeriu que ele se transformasse numa ferramenta “white-label” para o Yahoo Finance ou o Google Finance.
Modelo de negócios? ainda não sabem

ExchangeP: um mercado online virtual para as pessoas determinarem o preço justo das empresas que não tem capital aberto na bolsa. O “valuation” das empresas seria encontrado baseado nas operações “faz-de-conta” dos usuários. Eles já tem 75 empresas listadas. Oferecem prêmios em dinheiro real para os usuários que acertarem mais nas suas operações de compra e venda de mentirinha.
O interessante dessa startup é que ela pode ir por dois caminhos, ou usar essa tecnologia para brincar de valuation “faz-de-conta” de uma monte de coisas além de empresas fechadas, como por exemplo o valor de imóveis, carros, artes, etc.., ou tentarem transformar o serviço para que sejam feitas operações reais, criando assim um mercado secundário para ações de empresas fechadas. Aí o negócio começa a ficar bacana. O empreendedor parece muito bom, acho que investirão nele.
Modelo de negócios? Propaganda e premium fees.

Me-trics: mais uma idéia maluca: “Google Analytics para as outras coisas da sua vida”. A idéia do empreendeor é oferecer um sistema de análise estatística que gere correlações entre tudo o que afeta a vida da pessoa. O número de posts no seu blog versus o seu humor matinal, ou quanto tempo você passa online em casa versus o seu nível de stress.
O problema é como coletar todas essas informações. Muitas estão online através das APIs abertas, mas outras são subjetivas e dependem do input do usuário.
Pode ser engraçado nas primeiras semanas, mas depois…
A idéia dos especialistas e usar a tecnologia para embarcar em outros hardware, exemplo: vc bota essa inteligência na balança do banheiro e ele transmite via web para sua conta toda vez que você se pesar, o sistema correlaciona essa informação com o resto e te diz o que está impactando o seu peso. Maluco mesmo, mas quem sabe?
Modelo de negócios? Não sabe.

iCharts : o Youtube dos gráficos. Criar, embutir, e compartilhar gráficos na web e em documentos digitais. O negócio é muito útil e muito bem feito. Você cria gráficos interativos com enorme facilidade. O sistema gera um arquivo flash que você pode embutir numa apresentação powerpoint ou num pdf e quando você abre o documento o gráfico interativo pode ser usado.
Além disso, você pode incluir um comentário em audio que acompanha o gráfico.
Outro ponto de destaque é a indexação automática que o sistema faz dos gráficos para que eles sejam encontrados facilmente pelas ferramentas de buscas como o Google.
Acho que foi o melhor do painel. Será investido com certeza, mas terá que mudar algumas idéias.
Modelo de negócios? Propaganda. O Mark Cuban deu uma idéia melhor: licenciar a tecnologia para outras empresas (todas as acima por exemplo).

admin

By admin

Related Post