No segundo dia da TechCrunch50 os temas da manhã foram: “Collaboration” e “Finance & Statistics”

O painel de especialistas do dia foi formado por:
Roelof Botha, da Sequoia Capital, ex CFO da PayPal
Mark Cuban, empreendedor que ficou bilionário e comprou o time da NBA Dallas Maveriks
Don Dodge, da Microsoft
Kevin Rose, fundador do Digg

No primeiro painel “Collaboration” as seguintes startups fizeram suas apresentações:

Tingz: Mais uma rede social para compartilhar conteúdo com amigos na web. A interface é bacana, o design agradável, mas quem precisa de mais uma dessas? O empreendedor vendeu que seu principal diferencial é oferecer uma experiência consistente através de diversas plataformas (Mac, Iphone, win media). E daí? Muito fraco, nasceu morto…
Modelo de negócios? Não soube responder, rodou…

Mixtt: Mais uma rede social, dessa vez para grupos de amigos encontrarem outros grupos de amigos (um grupo que joga futebol encontra outro para marcar uma partida). Facebook, Myspace e Orkut são para indivíduos, o Meetup é para grandes grupos e o Mixtt seria pra grupos menores. Seria… também acho que não vai dar certo. Poderia dar certo como uma aplicação para as redes existentes.
Modelo de negócios? Propaganda.

Imindi: “Conecte suas idéias com a de outros usuários através de mapas mentais”. Esses ingleses querem dominar o mundo criando uma única mente coletiva da humanidade. Os caras parecem que entedem do assunto científico (neurologia), mas estão viajando na determinação do problema que querem resolver.
As “jornadas” de pensamento coletivos que eles propoe são bem interessantes, mas resta saber porque as pessoas vão querer descrever todos os seus pensamentos no formato de mapas mentais (igual o mindmanager) online para o uso coletivo. As pessoas voluntariaram para criar a wikipedia poderia ser um argumento, mas mesmo assim é complicado contar só com a boa vontade dos seres humanos.
Se eles aplicarem a tecnologia para coisas mais específicas, podem encontrar nichos interessantes.
Foi engraçado o comentário do Mark Cuban sobre o projeto: “The biggest bull-shit I´ve ever heard”.
Modelo de negócios? Propaganda (contextual ads)

Popego: Um serviço web que gera um perfil de interesses baseado no conteúdo que você tem associado ao seu username em diversos outros serviços web (facebook, orkut, twitter, flickr, youtube, delicious, digg, etc..). A ferramente tem um equalizador para o usuário dar uma arrumada nesse perfil. A partir daí a ferramenta passa a ter recomendar conteúdo mais relevante para o seu perfil.
Você pode dar feedback para a ferramenta avaliando positiva ou negativamente o conteúdo oferecido, e ela aprende com isso.
A interface é muito legal, mas o mercado pode ser muito pequeno. Só os “early-adopters” ou geeks devem adotar uma ferramenta dessas.
O modelo de negócios? Propaganda (target ads).

Como você pode ver o painel foi bem fraco. O segundo foi bem melhor, veja no próximo post.

admin

By admin

Related Post