Acabei de reler hoje o “Citizen Marketers” escrito pela Jackie Huba e pelo Ben McConnell, eles escrevem no ótimo blog Church of the Customer.

Na primeira leitura o Beezzer ainda estava no papel e agora com a versão alpha já no ar quis rever alguns conceitos deles.

Quem está bem envolvido com mídia social e ainda não leu, não se surpreenderá com nada muito novo, mas quem ainda está boiando no assunto tem uma ótima oportunidade de entender o que está acontecendo com uma leitura fácil, agradável e cheia de histórias reais que ajudam a compreender o contexto atual.

O link do livro acima aponta para a edição em português vendida pela livraria cultura, mas eu li uma mais antiga em inglês, por isso as citações abaixo saíram em inglês mesmo.

“A guiding principle of citizen-created content: people are the antidote to the manufactured reality injected into culture everyday. People are the message.”

“When messages are influential, it is because they are authentic… That’s the value and promise of word of mouth; authenticity contributes to authority.”

“For citizen marketers, their work and membership in marketing communities is part of their lives. It’s their hobby, It’s their politeia. It’s citizenship in the age of marketing as culture.”

E apontando novamente para o Beezzer que tal essa:

“Small but determined groups of citizen marketers will fill the natural voids of the support centers for many well-loved products. How companies tacitly accept or officially acknowledge peer-based support will affect word of mouth.”

O McLuhan é citado diversas vezes no livro e as suas famosas frases do “Understanding Media: The extensions of Man” não podiam ser melhores:

“We become what we behold. We shape our tools and then our tools shape us.”

Acho que esse é o primeiro post que eu deixei bastante coisa no inglês original, se acharem isso ruim me mandem um feedback, levarei isso em consideração nas próximas vezes.

admin

By admin

Related Post